quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Afloremos







Mentir
Para conseguir
É tão antigo
Quanto nocivo.

É uma falsa conquista,
Que sempre causa acidente na pista.

Nada mais fora da Nova Era
Do que a "malandragem".

Talvez, a nossa mais patética derrapagem!

O cinismo.

O egoísmo!

O aleatório usar,
O manipular!
O surrupiar, 
O consciente prejudicar.

Deixar cadáveres pelo caminho,
Tem que deixar de ser modelo 
De aquisição de ninho.
O "se dar bem" nas costas alheias,
Todos os tipos de terrorismo, 
Do social,
Ao sexual;
Todos os tipos de escravagismo,
Muito em moda aqui em minha triste Bahia,
Que já nem se recorda de sua original melodia...
Todos, todos, todos os preconceitos;
Todo e qualquer tipo de dominação;
Toda e qualquer separação...
Todas as formas de violência e de causar medo,
São imundas e apodrecidas meias
Que precisam ser descartadas,
Para que possamos limpar nossa caminhada.

Esse modelão 
Baseado em corrupção
E toda sorte de desonestidades
Precisa desaparecer da humanidade.
Ou, será, sim,
Seu trágico fim...

A pseudo obra prima da Criação
Terá, apenas, tristemente, causado devastação.

Terá partido sem dizer a que veio.


Limpemos, todos, pois, nossos esteios.

Mergulhemo-nos em sinceridade
Em primeiro lugar,
Sob um profundo respirar...

... Em seguida, afloremos em sensibilidade...!!!





De repente, diz presente:
http://www.youtube.com/watch?v=CTBt_hUWyBU






Um comentário:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Parece que a mentira tomou poder e se apresenta como o caminho para nos levar à destruição.
Hoje os políticos mentem...os pais mentem...os filhos mentem...
Parece que vivemos todos numa grande mentira.