sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Tem Nada Não !!!







Estava me levantando,
Ainda atordoado,
De tantos "pianos",
Em vários planos,
Acreditando-me seguro,
Quando recebi mais um golpe,
Incrível,
De tão terrível!!!
Destruiu parte de meu mundo!
Misericórdia! Que falta de sorte!!!
O estrago foi tamanho,
Que um pedaço de mim, permanece desacordado...


Feliz, ou infelizmente, a lucidez permaneceu.
Debate-se para entender tudo que se deu.
Alguma coisa, podia ter dado certo!
Afinal, fiz flores brotarem no deserto...
...Por sobre pedras!
Deixe estar!
Inda vou rebentar!
...Agora não tem mais jeito.
Vai ter que ser no peito!
É tudo!
Provarei porque estou no mundo.

Talvez, tenha sido mesmo necessário
Esta súbita troca de itinerário,
Para eu me espremer
E, mais profundamente, 
Diretamente,
Escrever...
Eita! Aqui está algo que nunca me abandona,
Que a tudo me acompanha:
A inspiração,
A surfar em meu furacão!

A benção que me atesta,
A festa
Que me resta.
A estrela em minha testa!




Música indicada:
http://www.youtube.com/watch?v=wahK_MBI2hY&feature=watch-vrec






quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Do Zero!!!







Parece-me que a melhor solução
Para se lidar com a ilusão,
É imitar o dia:
Renascer dia a dia!

Antes de o sol se levantar.
Respirar!!!
Começar do zero,
Sem qualquer peso...
Permitir que o sorriso
Puxe o sol, em seu meu melhor sentido!
Manter-se positivo.
Afinal, tudo é possível.
O próximo instante pertence ao infinito...
É dentro do sensível,
Que o encanto se apresenta.
É ali, que a alma se sustenta...

Acreditar, de coração, nas possibilidades,
Que chegam com o novo momento.
Não se repetem, os batimentos...
Não achatá-lo, 
Para, em um conhecido,
E aborrecido,
Passado, encaixá-lo!
Todo dia vem repleto de oportunidades.
Um pouquinho de atenção,
E, adentramos em uma dimensão,
Que desconhecíamos, até então,
Por estarmos surdos à vastidão.

Captamos, praticamente nada,
Da existência alada.
Como não é possível servir a dois senhores,
Com tão antagônicos ardores,
Não dá pra querer frequentar o encantado,
Com o ser todo carregado...
Todo entortado,
Por um ego ensandecido, 
Que se pensa escolhido!
... Posso lhes assegurar que o desprendimento,
Da personagem pública, social; o descolamento,
Cria um alívio,
Impraticável  ao anterior convívio.

Quem se nega ao espelho, por medo,
Submete-se a um arremedo.
Corre, corre, corre, sem sair do lugar...
É desaconselhável tentar, à Criação, enganar!!!




Música indicada:
http://www.youtube.com/watch?v=69Q9dsbBS8Q&feature=related




quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O Único Amigo







O interior precisa estar preenchido
Por vibrações bonitas,
Irradiações positivas,
Para que sirva de fonte
De seu próprio horizonte.
Para que não se deixe penetrar,
Não se deixe subornar,
Pela banalidade
Da atualidade.
O interior é o verdadeiro amigo.

Evidentemente, precisa ser ouvido,
Por sobre todos os ensandecidos ruídos
Do ego, insuportável,
De tão lamentável!
É preciso parar para ouvir o próprio batimento.
Excesso de movimento:
É fuga!
É a mais vã luta...
Uma autoilusão,
Que deságua, inevitavelmente, em desolação.

Uma enganação
Inaceitável à imensidão!

É preciso ter cuidado com a mente.
Ela é ardilosa e não quer largar o osso.
Quer o poder, até o caroço.
Para tanto, mente!
Finge-se de interior,
Provocando uma verborragia
Tristemente vazia...
Tentando falsificar uma elevação,
Que, a um olhar atento, é pura devastação.
...Luz emprestada
É quase a mesma coisa, que lâmpada queimada...
A mente quer a lógica do exterior.


Por isso, insisto tanto,
Na vigilância sobre o que jogamos pra dentro.
O que permitimos que faça o papel de centro.
Se não estiver voltado para o espaço,
Para o espacial acalanto,
Entoado pela evolução,
Fatalmente desembocará em destruição.
O destino de todos nós é a luminosidade.
O veículo a sensibilidade!



Música indicada:




terça-feira, 28 de agosto de 2012

Assim! Foi Assim!





A vida sempre me comoveu.
Desde a primeira memória,
Ao longo de toda minha história,
A presença constante é a da emoção.
Intensa!
Imensa...
Menos para a tristeza,
Mais para a alegria,
Mas, muito forte. Por vezes, plena!
Até agora, vem sendo esta, a formatação.
... O desenho que me aconteceu!
O tédio nunca teve espaço nesta sinfonia.

Tenho consciência que este tipo de conduta,
Vai antecipar-me a altura.
O coraçãozinho não suportará por muito tempo,
Este liricamente, alucinado, batimento...
Mas, não houve outro jeito.
Foi assim, que se expandiu o peito.
Foi assim, que me humanizei, um bocadinho mais...
Foi por isso, que demoli todas as catedrais.
Meu assunto é direto com o céu.
Abomino até a ideia de véu.
Chega! Basta de ilusão!
De descarada alucinação...
É chegado o tempo do adeus às desculpas...
Seremos obrigados a rever tooooda a atual conduta.
Só a transparência,
Recuperará a nossa consciência,
Trancafiada nos porões imundos da conveniência,
Sob a guarda da indecência!




Música obrigatória:
http://www.youtube.com/watch?v=B1575Ja2Kbg&feature=relmfu




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Que Sufoco!!!





Finalmente, entendi!
Custou demais, mas compreendi.
Agora, só preciso de um tempinho,
Pra ir me adaptando, 
Ir me acostumando,
A esta nova concepção de ninho.
Sem dúvida alguma, muito mais abusada,
Cosmicamente ajustada,
Mas, aparentemente, complicada,
De, como estrada, ser encarada.

É preciso um desapego,
Total,
Incondicional!
Sem direito a negociações,
Ou pequenas adaptações...
Preciso abalar todo o entendimento
De sossego,
De segurança.
...É tão surpreendente esta dança!
Talvez, por ser toda, altos sentimentos...
Os diálogos são mudos,
Como se obedecessem a um ensandecido fuso...
Uma conexão
Direta com a imensidão,
Que desafia, descaradamente, nossa imaginação...
Muito além, 
Muito, muito além, de nossa controvertida ilusão.
Uma frequência, comprovadamente, especial,
Pois nos ascende à visão espacial!

Algo, como uma antecipação do futuro...
... A delicadeza com que a hera protege o muro...




Vídeo maravilhoso:
http://www.youtube.com/watch?v=U5OIWELIVrM&feature=related





domingo, 26 de agosto de 2012

Erupção Noturna







Mais uma madrugada de amargar,
De estraçalhar!
Tristeza dilacerante!
Dor terrificante!
Por tanto...
...Por todos!
Lágrimas escorreram abundantemente,
Livremente,
Sem contrações faciais.
Eram absurdamente, naturais!

...Horas a pensar!
A tentar identificar
O sentido
Deste período longo, tão comprimido...
A vida arrebentando em mim,
Antecipando-me o fim!
Sensações em dobro!
Vozes em coro!
A existência explodindo em minha cabeça,
Destruindo qualquer possibilidade de represa.

Argumento não saber se estou preparado,
Para tal salto.
Ouço de volta,
Nitidamente, a resposta:
Está atrasado!
É preciso voar mais alto.
Percebo o quanto ainda há a apreender...
...Da melhor maneira possível, escrever.
Urge, que se registre, o que é relevante.
O que, ao menos, esbarre, no edificante.

Por último, fui orientado a respirar...
O meu próprio calor, gerar...
Transformei o quentinho em sentimento,
O mais eficaz de todos os argumentos...
...Amei a todos, a tudo, em ondas circulares.
Invadi os ares.
Tomei de assalto o planeta.
Banhei em luz rosa, representando o amor universal.
Apresentei-me ao espaço sideral!

Pulso acelerado.
Rosto, ainda, em lágrimas, lavado.
Mas, calmo!
Desfrutando do clarão inesperado.
Doído, mas seguro,
De estar conectado à essência de meu mundo.
Comprometi-me, então, oficialmente,
A canalizar toda a sensibilidade,
Que puder captar da eternidade,
Para, aos irmãos, comover...
Tentar lembrá-los do verdadeiro viver!
Incentivá-los a apurar a sintonia,
Para captarem
E, finalmente, desfrutarem,
Desta sinfonia...
Toda ela perfeita, artesanal harmonia!




Música indicada:



sábado, 25 de agosto de 2012

...Do Amanhecer!





O processo de assimilação do conhecimento,
Precisa se consumar
Para este passar a surtir algum efeito
No peito.
É preciso digerir tudo:
Todas as causas,
Todas as laudas...

A simples obtenção
De uma informação,
Não a imprime na alma.
São necessários tempo e calma,
Para que a energia toma conta, holisticamente!
...Suavemente!
Para que se sedimente
E às marés, suporte, aguente!

A parcial digestão
Provoca a ilusão
De uma assimilação que não aconteceu.
A alma não arrefeceu.
Enquanto um assunto permanecer
Martelando na cabeça,
Com toda a certeza,
Não está resolvido.
Algo, ainda, precisa ser digerido.

Sou do tipo que não adia coisa alguma.
Prefiro sair rapidamente, da bruma...
Não adio enfrentamentos, espelhos, resoluções,
Pois estou sempre surfando em altas sensações...
Não quero fragmentos de meu trágico passado,
Pesando sobre o meu ser,
Que, só se aceita, alado.
Única forma de viver!
Orientado pelos ventos do perceber,
Pertenço à linhagem do amanhecer!





Vídeo indicado:





sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Agradecimento Holístico




Hoje, eu só quero agradecer.
Um agradecimento geral,
A todos os ingredientes,
Todas as mentes,
Todos os corações...
...Cada uma das estações!
A todos os amigos,
A todos os sentidos!
Às figuraças que cruzaram meu caminho,
De todos os reinos,
Contribuindo assim,
Para a configuração de  ninho,
Em meu peito.
Preciso agradecer
Pela inspiração que me atravessa!
Pela poesia, que através de mim,
Generosamente se expressa!
Agradeço a todos os lugares em que habitei.
A todos, amei.

Agora preciso me levantar,
Para à minha amada Bahia, reverenciar!
O que senti e sinto em solo itacareense,
O diálogo que se escancarou com a natureza,
Com a floresta, o mar, a passarada...
Misericórdia! Quanta pureza!
A inocência assanhada do povo...
... Dei de cara, com a essência da vida,
Pulsando prenhe,
Em compasso deslumbrantemente novo.
Como é vaidosa, a danada!
Entendi que precisa ser cortejada,
Demoradamente, apreciada.
Não é à toa, que se revela ensolarada,
Por sobre todas as nossas mancadas...
Ela cumpre seu papel,
De nos oferecer sempre, o melhor céu,
Para o momento,
De acordo com nosso sentimento.

Nem que escrevesse mil versos,
Todos refletindo o universo,
Ainda assim, não seria suficiente,
Para agradecer ao carinho eloquente,
Com que este chão me acolheu.
O melhor de tudo,
No mundo:
Aqui, meu ofício arrefeceu!

Enfim, muito, muito, muito, muito Obrigado
À existência,
Por ter me proporcionado a baiana cadência.
Comprometo-me, a compartilhar as cores do encantado!


Ia me esquecendo: a primavera está chegando!!!
Oba! Mais lirismo... aflorando!



Para Erasmo Shallkytton




Obs. Hoje às 17 horas, acontecerá a cerimônia de minha posse, em uma cadeira, na Academia Niteroiense de Belas Artes, Letras e Ciências – ANBA!!!



Vídeo indicado


quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Será Seu


   






         Será Seu


Nem uma migalha a menos.
O que é seu,
Será seu.
A não ser que você se desvie de seu centro.
Caso contrário,
Não havendo distrações no itinerário,
Obrigatoriamente,
Inevitavelmente,
O seu oráculo irá sim, se cumprir.
Pode ir aquecendo seu sorrir.



Depende de sua fidelidade,
À sua mais íntima identidade,
A fluência de seu enredo,
A qualidade de seu solfejo.
O exterior fará de tudo para atrapalhar.
Cabe a você não acatar,
Todas as desfeitas...
Prevenir as maleitas,
Cercando-se com o que encontrar,
De mais puro,
Em seu mundo.
Capriche no sonhar!

Seja generoso.
Vibre, intensamente, pelos outros.
Lembre-se que estamos todos ligados.
Queiramos ou não,
Gostemos ou não.
É um fato, não uma opção.
Por isso, zelar pelo irmão,
É a mais indiscutível obrigação.
Manter estendida, a mão...

...Entenda que viver é precioso!

Tem que ser delicioso!




Vídeo histórico:





quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Senhor da Obstinação!!!


         


O tempo
Tem seu próprio argumento.
Um indecifrável ornamento...
É desconhecido o compasso,
De seu sentimento,
Mas, é indispensável, a ele, dar o braço.

Menino temperamental,
Sua essência é toda transcendental!
Sem ele não se vive,
Não se existe...
Tormento de uns, consolo de outros,
Protetor dos loucos!

Depositário fiel
Das principais respostas.
Nunca lhe dê as costas!
Fel ou mel,
É magnífica a sua ressonância,
Astronômica a sua relevância!

Seus critérios...
Tudo nele é mistério!
Aliado da Criação,
Senhor da obstinação!!!
Seu poder é comovente,
De tão onipotente!

Como um todo, a história
É testemunha de sua glória!
Ele possibilita as transformações,
Através das civilizações!
Ou as sobreposições,
Dessas mesmas sensações...!

De todas as “entidades”,
Talvez seja, a que evoque mais cumplicidade!
Ele precisa ser respeitado,
Para se querer, levemente, revelado!
Manhoso,
Sabe que é precioso...

E delicioso!




Vídeo indicado:





terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sem Constrangimentos






        Sem Constrangimentos


Mantenha sua despensa repleta de alegrias,
Para socorrê-lo em momentos de agonia,
De melancolia...
De emocional rebeldia!

Têm que estar logo nos primeiros arquivos da memória,
Para serem acessados rapidamente,
Sem qualquer hercúleo esforço,
Antes que as águas invadam o rosto.
Uma clara lembrança,
Que tenha sabor de esperança...
Que traga de volta a intenção de sorrir!
A única forma aceitável de se seguir!
Recomendo momentos apatetados da própria história!
Todos os temos, naturalmente!

De qualquer forma,
Vale tudo,
Pra tentar evitar
De se lançar
Mais dor
Nesse circo de horror,
Que a humanidade
Pensa que fez com sua eternidade!
Já há sofrimento em demasia,
Atravessando a humana melodia.
Os campos mentais e emocionais
Precisam de leveza,
De pureza,
Da disposição das energias matinais...
No que elas têm de mais positivo,
De mais evolutivo!

Sofrer
Precisa ser assimilado,
Processado,
Para ser digerido
E expelido,
Sem o menor constrangimento, do viver!






Vídeo delicioso
Do tipo impossível ficar quieto... rsrs
Zé Renato  - Pedro Luís – Roberta Sá
“Cabô”