domingo, 31 de março de 2013

Mudando o Fim




Talvez, o uso diário da criatividade,
Tenha me trazido a necessária intensidade,
Para, desta vez, mudar o fim.
Algo mais apropriado a mim.

Tenho consciência de onde falhei...
Onde, miseravelmente, errei.
Mas, também sei o que consegui.
Os monstros inacreditáveis que venci.
Desintegrei-os com minha poesia.
Em si, uma maravilhosa “Ousadia”.

Cansei de ser esmagado por insetos.
Demolidores de tetos.
Seres rastejantes,
Revoltantes,
Esverdeados, de tão apodrecidos...
De suas essências, esquecidos.

Alimentei-me de seu veneno,
Para imunizar meu enredo.
Todo lírico!
Lindo!
Puro!
Com o aval do mundo.

Seguirei minha vida, pelos meus parâmetros,
Pelos poéticos ângulos.
Nunca mais me submeterei,
Ou me trairei,
Para tentar defender o que a sociedade
Entendeu
Que, por direito, é meu.
Podem ficar com a falsidade
Que sempre os norteou.
Ou, desnorteou!

Sou mais Eu e minha obra.
Minha inspiração que se desdobra,
A cada oportunidade,
Que venço as fragilidades,
De minha personalidade,
Em favor da sensibilidade.





Vídeo lindo:




Dedico este trabalho à aniversariante do dia:
minha querida amiga,
Marilene Rangel Plessier



quinta-feira, 28 de março de 2013

Criatura, Você Ainda Não Percebeu Que Seu Salto Quebrou...




O bom de ser ter um elevado propósito,
É que mesmo que não cessem os ataques
Da mediocridade
Impregnada na sociedade,
Com seus apodrecidos
E ensandecidos
Charques,
É possível se agarrar a ele,
No sentido inverso do peixe à rede...
... Para voltar ao seu padrão.
Aquele que escolheu o coração.

Bem ali onde reside o elemento.
Onde se sobressaem os melhores sentimentos.
Onde se pode ser o que se é.
Onde gostar é a única postura que dá pé.
Bem longe das capitalistas ambições,
Das controvertidas manipulações...
...Daquelas piores intenções,
Com seus consequentes apagões.
Afastado de todas e tantas e cansativas mentiras!
Odiosas, desprezíveis, insustentáveis,
Insuportáveis,
Inconsequentes personagens!
Responsáveis pelo caos instalado,
Em lugar do pulsar alado.

Que sorte poder poetar
E voar...

Tão alto!

Tão acima de seu espatifado salto...!!!...!



Música recado:




quarta-feira, 27 de março de 2013

Mais Louco





Gostaria de me integrar,
Impregnado em cada semente,
Literalmente,
A este sítio que desandei a amar.
O sítio simboliza a natureza como um todo.
Meu amor mais louco,
Mais radical!
O que me apresentou às portas do fundamental...

Deu a luz ao poeta,
Projetando-o!
...Inspirando-o!
Transformando-me em seta!

A única, perfeita, universidade,
Reconhecida pela eternidade!
Curso intensivo,
Para aproximar
E apresentar
Ao que faz sentido:
Ao Bonito,
Espelhado,
Espelhado
Por todo o infinito.

... Dos abrigos,
O melhor amigo!

Campo, floresta, serra,
Mangue, serrado, sertão...
... Haja coração!
Planalto, caatinga! O litoral
Sensacional!
O mar! Ventre da Terra!
É tudo tão excepcional!
Tão visceral!

Talvez, goste tanto deste pedaço,
Porque, em todo o espaço,
Foi aqui que nasceram todos os meus filhos,
Todos os heroicos livros,
Com apoio nenhum, a não ser de poucos amigos:
Os anjos de meu destino.
A cabeça sofreu uma abertura invejável.
De minha senda, andei um trecho louvável.
Sempre com a sombra da arbitrariedade,
Da alheia desonestidade...

... Talvez, por isso tenha feito o céu, de palco.
E, voe tão alto!



Dedico este trabalho à minha amiga/poetisa
Luconi



Música indicada:



segunda-feira, 25 de março de 2013

Jamais, Criatura!




Que tombo!
Haja lombo!

Não sei viver esperando o pior das pessoas,
Desconfiando,
Fiscalizando...
Também não acredito que todas sejam boas.
Mas, daí, a viver preocupado,
Armado,
Esperando o bote...
... Afiando o corte!
Para mim, não dá, não serve.
A vida é muito breve,
Para ser desperdiçada com complexos
Típicos de quem desconhece seus plexos.
De quem não se garante
Em qualquer quesito...
De quem acha que gostar é esquisito!
Gente que acredita em divindades distantes...

Prefiro começar confiando.
Fico atento, vou observando...
Se houver mais temperamento
Que bom senso,
Já sei que dali nada posso esperar.
Porém, não me obrigo a me afastar.
A não ser que a criatura me atinja diretamente.
Então, me afasto, naturalmente.
Sei que por pensar e ser muito diferente.
Sou “atingido”, assiduamente.
Por vezes, até involuntariamente.
Por discordar de tudo,
Literalmente,
Que, no momento, move o mundo.


Sua covardia
Jamais desafinará minha sintonia!




Vídeo indicado:





sábado, 23 de março de 2013

Detector de Excessos





         Reconheço quando alguém fala com paixão. E, reconheço também, quando esta paixão está influenciando negativamente, a opinião. Não é muito complicado, porque quando se pronuncia desta maneira, influenciado pela paixão, escapa-se da coerência. Afasta-se, ainda que seja um pouquinho, do bom senso, maculando o discurso. Abrem-se buracos inexplicáveis.
         Como sempre, digo por mim mesmo. Principalmente, quando me pego recordando o passado. Meus discursos inflamados, defendendo o ar ... Como todos, também dei vários vexames, iludido por alguma bobagem. Defendi pessoas que hoje colocaria direto no paredão, sem gastar tempo ou dinheiro, com palhaçada de julgamento.
         Enfim, infelizmente, isso só é possível na maturidade, depois de se ter vivido intensamente, a própria afetividade. Quem sempre se escondeu, só envelheceu. O mesmo com que se pendurou em relacionamentos rodrigueanos, que, jamais, poderiam ser chamados de “casamentos”. Gente que pensa que engana o infinito... Imaginem o tamanho do ego... Ou, da fragilidade da personalidade! Gente que nada sabe. Em nada cabe. Gastou a encarnação, em vão: poupando-se, guardando-se... Como se fossem valiosíssimos diamantes!!! Nunca amaram! Pouco gozaram! Procriaram, friamente! Afrontando a lei primeira da vastidão!  Não conseguiram se reconhecer na cria. Muito menos no infeliz, do parceiro!!! É aquele tipo que trabalha nos bastidores, para o fracasso do espetáculo! Nesses casos a velhice é uma inimiga crudelíssima.
         Melhor mesmo é sair da concha. Atirar-se na vida, com fome, com gana, com disposição pra tentar ser o máximo que puder. O que passa, obrigatoriamente, pela realização emocional. Independente de moldes. Satisfazer o corpo, sem deixa-lo escravizar. Afinal, ele tem que ser o veículo de nossa evolução. Sem ele, nada é possível, Então, é recomendável: ouvi-lo, entende-lo, atende-lo, na medida do possível, sempre orientado pelo bom senso. Ou seja: ser verdadeiro!




Vídeo complementar:



Para adquirir meu terceiro livro
No site da editora Biblioteca24horas
Digite Txai no campo de pesquisa
Ao alto, no canto esquerdo



quarta-feira, 20 de março de 2013

Merecimento





Algumas pessoas mereciam poder desviar da tristeza.
É que são tão preciosas,
Tão valiosas,
Que, ao se recolherem,
Sem perceberem,
Abrem um buraco no coração daqueles que as prezam.
E, são muitos, com toda a certeza.
Quando essas pessoas, tristes se quedam,
Fazem muita falta!
... Um som delicado de flauta!
Têm sempre a mão estendida
Para nos socorrer, na subida.
Têm sempre a famosa “palavra amiga”,
Para nos fazer retornar à harmonia.

Entretanto, têm também, seus próprios abismos.
Seus sismos!
Seus precipícios,
Crispados em internos suplícios!
Como nadam contra a corrente
De hipocrisia vigente,
Sofrem!
...Implodem!
O que sai,
Não é um décimo do que as contrai...
Precisam ter seus momentos
Para administrarem os desalentos,
Os nós!
Como todos nós!

Acontece que por serem emissoras de luminosidade,
De amizade,
De ternura,
De brandura,
Quando se ausentam,
Nossas frágeis bases não se sustentam...
Ficam dando a impressão de desabamento eminente.
Também, pudera!
Além de recenderem à primavera,
Têm carinho por toda a gente!!!


Assim é meu amigo poeta
Maurício de Azevedo




Música indicada:










terça-feira, 19 de março de 2013

Por Mim Mesmo





Falando sinceramente, por mim mesmo,
Penso que estão faltando atitudes, nos argumentos.
Muitas declarações lindíssimas, perecem,
Tristemente fenecem,
Atropeladas pela incoerência dos atos.
Afinal, o que conta, são os fatos.
Não importa se foram envolvidos em lindas palavras,
Se tiveram poder destrutivo das lavas!
Se denunciaram omissão, covardia...
... Humilhação, sangria!

O apoio não está vindo de onde estamos esperando:
Aquele alguém...!!!
... Para ninguém!
Regra sem exceção!
Penso, que tudo se deva à esta tremenda confusão,
Que estamos vivenciando.
Felizmente, existem os anjos,
Com seus encantados mantos,
A nos socorrer,
A nos estender a mão,
O coração,
Quando estamos a um passo de esmorecer.

Alguns até se antecipam, para que não cheguemos,
Para que não nos desgastemos,
A tal extremo.
Invadem, antes, o enredo.
Acariciam-nos com sua luz, com seu sincero carinho,
Levando-nos, holisticamente, para os celestiais ninhos.
Aquela sensação incerta com relação à altitude...
... O colo incomparável da plenitude.



Aninha Lago de Luz foi uma dessas surpresas,
Que nos aliviam as represas.
Escreveu a apresentação de “Ousadia”
Com uma tal maestria,
Com tamanha precisão,
Que me deixou um metro acima do chão.
Percebi o tamanho de sua sensibilidade,
De sua lírica humanidade.
Apaixonada pelos “filhos”, como eu.
De olho nos preconceituosos, como eu.
Inconformada com a política nacional, como eu.
Totalmente possuída pelo ofício, como eu!

Identificação deliciosa,
Cosmicamente poderosa!

Desejo-lhe o mesmo que a mim: Sorte!
Como eu, você já sabe o poder de seu corte!





Lindo vídeo:







segunda-feira, 18 de março de 2013

Campo Vibratório





Temos muita empáfia, ainda, para perder.
Nosso egoísmo não nos deixa perceber,
O essencial da vida,
Que é o afeto que se compartilha.

Essa matéria prima abundante,
Essencialmente relevante,
Não poderá ficar escondida
Pela nossa ignorância convencida...
Cedo ou tarde, romperá todas as barreiras,
E se instalará com a facilidade de uma brincadeira,
Por ser este, o nosso destino final
Escrito no sideral!

A afeição e o ponto alto da imensidão.
É onde ela entra em espontânea expansão.
Dispensa regras,
Por ocupar o centro de todas as cósmicas telas.
É onde qualquer espírito ávido,
Encontra o seu máximo.
E se reconhece...
... Instantaneamente se aquece.

Passa a ocupar um campo vibratório,
Com uma leveza, jamais encontrada nos oratórios...
Ali se transforma.
Estica toda a corda
E salta,
Amparado pelo lirismo que sustenta a alma.
É quando nasce a poesia,
Impregnada de toda a luz contida nesta celestial sinfonia.


video




Este trabalho é presente adiantado de aniversário para minha amiga
Cáritas Miguel




quinta-feira, 14 de março de 2013

Aos Amantes de Poesia







Para mim, hoje não é o dia da Poesia.
Todos os meus, são dela.
Para ela!
Por ela!
Moldura e textura de minha aquarela.
A lírica via!

A um só tempo, salvação e redenção
Do coração.
O bonito
Que pede para ser interpretado,
Transcrito
E compartilhado.

Ela tomou posse de mim!
Haverá de me acompanhar até o fim,
Guiando-me os passos.
Escolhendo-me os laços.
Estendendo meus braços,
Para um mais inclusivo abraço.
Redirecionou-me o gostar,
Potencializando-0 ao extremo
Induzindo-o ao voo
Sem pouso
Que se tornou a minha existência,
Atendendo aos apelos deste lírico enredo.
Vem, pacientemente, me abrindo a consciência.
Tocou-me todos os pontos,
Todas as pontas...
... As extremidades
De todas as insanidades!

Fazer Poesia
É tocar a harmonia...
É reconhecer em tudo
A possibilidade de profundo.
É, espontaneamente se elevar,
Para tentar alcançar
A essência
Inserida em toda e qualquer latência.

Viver em Poesia
É saborear o sumo da vida!





Música indicada:



Para adquirir meu terceiro livro
No site da editora Biblioteca24horas
Digite Txai no campo de pesquisa
Ao alto, no canto esquerdo