domingo, 31 de maio de 2015

Dois Corações



Atualmente, depois de um longo e tenebroso inverno,
Praticamente, um inferno,
Existem duas pessoas tentando chegar
Tentando se aconchegar
Em minha vida afetiva.
... Promessas de flores na subida!
Ambas bastante complicadas,
Bastante desajeitadas
Ao lidar comigo.
Muito comum em meu destino.

Depois de muito ponderar
Para, em embarcação errada, não embarcar,
Perguntei-me se alguma delas,
Poderia, efetivamente, fazer parte de minha aquarela.
Questionei-me se alguma poderia ser definitiva,
A grande alternativa,
Ao menos, para este meu momento.
Se alguma poderia me enriquecer o argumento.
A sincera resposta foi: não!
De certa forma, esta lucidez, foi um alívio para o coração.

Em seguida questionei-me se eu poderia ser
O fator decisivo
Para, ao menos um, daqueles destinos.
Se eu poderia fazer a diferença
Em suas sentenças.
Se poderia, com propriedade, ajudá-las a crescer.
Novamente, a resposta foi: não!
Diante desta sóbria constatação
Concluí que estavam descartadas todas as cobranças,
Todas as possíveis intemperanças.

Pode parecer um pouco estranho.
Mas, o que me oferecerem, estará de bom tamanho.
Claro, que corresponderei à altura,

Até com alguma desenvoltura.


"Eu brincava com você naquela praia ensolarada"









Trabalho nº 2437


Em Expansão

ultradownloads.com.br




Nunca pensei que chegaria nessa idade
Com esta velocidade,
Esta intensidade
E, principalmente, com esta sensibilidade.
O melhor é que tudo isso continua em expansão,
Rumo à espiritual evolução.
Sim! Foi opção.
Creio que desde minha concepção.
Uma cósmica instrução.
Sempre me interessei pela luminosidade,
Pelos mistérios da eternidade.
Nunca me atraiu a escuridão.
Também não fui aceito por ela.
Sorte de minha aquarela.
Sinto-me, realmente, bem.
Não posso lhes dizer
Que posso apostar em meu futuro.
Já derrubei, da preocupação, esse muro.
Afirmo somente
Que tenho me esmerado nas sementes.
Tenho ao meu lado,
A meu favor
Todo o ardor
De meu ofício sagrado,
Que me pôs em contato com o encantado.
Desde que provei, da vida, o enlevo.
Elevou-se automaticamente meu enredo.


"Talvez você não entenda, mas hoje eu vou lhe mostrar"



Trabalho nº 2436




sábado, 30 de maio de 2015

Eeeeeeeeeeeeeeeeita!!!!!

www.temastop.com



Eu sabia!
Sabia que você me queria.
Não interpretei errado, as suas bandeiras,
As suas maliciosas brincadeiras...
Tenho aqui que registrar
Que meu tumultuado passado
Obrigou-me a ser resguardado.
Não sou, nem posso, ser de me atirar!
Hoje,  já fui bem longe.
Expandi, literalmente, meus horizontes.
E não me arrependi, não!
Está aliviado o coração.
Foi ótima a sua resposta.
Melhor
Que minha maior
Aposta!
Agora, basta aguardar aquele momento,
Em que explodirá, lindamente, nosso sentimento.
Não digo que vamos fazer a terra tremer.
Mas, quero ouvir você gemer,
Baixinho,
Gostosinho...!
Em total surpresa,
Pelo sensual rompimento de minha represa.


"Eu preciso do seu amor"





Trabalho nº 2435


Devemos Preservar Nossa Espiritual Integridade





Há que se impor um limite ao sofrimento.
Não é aceitável qualquer abatimento.
Mesmo que venha de antigos laços,
Ou, de convencionais traços.
Algumas situações são, simplesmente incabíveis,
De tão intangíveis.
A maldade,
A perversidade,
A sordidez,
A aridez,
A falsidade,
Principalmente na afetividade,
Não podem ser engolidas,
Muito menos digeridas.
Fazem mal.
Pertencem a uma vibração surreal,
Proporcionada pela material ilusão.
Não refletem, absolutamente, a imensidão,
Nem servem para a pessoal evolução
Como querem nos fazer crer as religiões,
Com seus abomináveis grilhões.
Constituem-se em excesso de devastação.
Não proporcionam uma saudável colheita.
Podem, sim, ser comparadas a espirituais maleitas.
É nosso dever
Caprichar nos traços de nosso viver.
Não importa o que os outros estão fazendo.
Por onde estão indo.
Temos que descobrir nosso próprio caminho.
Precisamos interferir conscientemente,
Positivamente,

No que está nos acontecendo.


"Desfolharei meus olhos neste escuro véu"







Trabalho nº 2434



sexta-feira, 29 de maio de 2015

Desapegando




Talvez, seja isso.
Devo, literalmente, deixarem se soltar todos os fios.
Para se atrelarem, apenas, e tão somente, ao ar.
Para se entrelaçarem ao que me manteve a suspirar,
A cantar, a poetar,
A gostar,
Desde que fui convocado a habitar o ar.
Destino óbvio de quem atravessou a vida a cultivar,
A cultuar
O Amar!

Uma mudança, um pouco, radical,
Mas, seguramente, encomendada pelo sideral.
Acordes decisivos
Para meu destino.
Não estou com medo.
Apenas, um pouco apreensivo,
Com o andamento do novo ritmo.
Tenho mais é que confiar em meu enredo.
Ele sempre me deu a base,
Para eu enveredar pela beleza,
Pela leveza,
Das tardes.
Agora, mais maduro,

Sei que é ilusão, todo e qualquer escuro.


"Na voz de um cantador"




Trabalho nº 2433


Desacerto




Apertou!
Rapaz! Praticamente estrangulou...
De tão apertado que ficou.
Algo descolou.
O corpo todo esquisito.
O peito, um pouco, aflito!
Como a verdade pode ser desagradável...
Sabe ser desconfortável.
Entretanto, como se trata de opção de vida,
Quesito inquestionável da subida,
Não é possível negociar.
Recomenda-se enfrentar.
Para tanto, só mesmo o mar
Para me recolher,
Acolher...
Apontar-me as melhores saídas,
As alternativas.

Meu grande amigo,
Que não me deixa perder o sentido,
O prumo,
De meu rumo.
Tenho visto e ouvido tantos absurdos,
Que têm me deixado mudo.
Sem qualquer vontade
De interagir com a sociedade.
Não sei pra que tanto esmero,
Tanto empenho
Em permanecer no desacerto,
No explícito erro.
Gostaria de um pouco de sinceridade
Só pra variar.
Um pouco de responsabilidade

Para nos fazer deslanchar.

"Até quando você vai ficar usando rédea"




Trabalho nº 2432


quinta-feira, 28 de maio de 2015

Feitiço Praieiro

www.minube.com.br




Estou atendendo diariamente ao chamado
De Meu Mar de Amar.
Dedico-me a caminhar
E a apreciar
Toda esta beleza que me obriga,
Que me incita,
A, profundamente, respirar.
É o que chamo de reabastecimento
Pelo encantado.
Um verdadeiro rejuvenescimento.

É quando sou abastecido de inspiração,
Pela imensidão.
É quando percebo que não poderia ser outro
O meu destino.
Ficaria tonto
Sem o oceano em meu hino.
Está entranhado em mim.
E assim será até o meu fim.
Gosto deste calor
Estimulando o poético ardor.

Hoje, estava calmo, Meu Mar de Amar.
Sobre a água, o sol a brilhar.
Na areia, um cavalo marrom a descansar...
Ah! Aquele marulhar,
Que sempre me enleva
E me eleva.
Céu de brigadeiro.
Feitiço praieiro.
Meu sagrado canteiro,
Arrebatando-me por inteiro.


"Sabe você o que é o Amor? Não sabe. Eu sei" 



www.tripadvisor.com.br


Trabalho nº 2431


O que Está em Jogo




Uma tragédia
Abate-se sobre nossa colmeia.
Quanta gente perdendo o emprego.
Aquele mesmo ao qual foi dedicado tanto tempo.
Tanto sapo engolido....
Todo o suor, esquecido.
Tanto sacrifício,
Quanto martírio!
Quanta abnegação
Para desenvolver a contento a função.
Quanta afeição foi posta de lado,
Para se manter empregado.
O afastamento obrigatório do lar,
Dos entes queridos,
Dos amigos,
Sendo obrigado a conviver com cobras,
Com mentes tortas,
Vendidas,
Pelo sistema, comprometidas,
Adulteradas,
Esgarçadas!

Em plena crise econômica, essa gente dá adeus ao sossego.
Não se enxerga luz no fim do túnel no atual enredo.
O presente não proporciona bons indícios para o futuro.
À frente há um horroroso muro
Erguido pela incompetência galopante
De nossos abomináveis governantes.
A promessa de progresso
Transformou-se em inaceitável retrocesso.
A recessão
Decepando a ilusão.

Mais que nunca acredito que a nossa união,
É a única solução.
Não sejamos tolos.
É nossa dignidade que está em jogo.


"Standing on the waters casting your bread"











Trabalho nº 2430


quarta-feira, 27 de maio de 2015

Conforme Aguarda


www.osmais.com

Sei que tenho que ter mais paciência,
Já que a vida não acompanha a velocidade,
A intensidade,
De minha consciência.
Afinal,  já há indícios.
Há promissores auspícios.
Promessa de flores pela estrada,
De noites enluaradas,
De mãos dadas
Apaixonadas.
De corpos misturados
Desfrutando de prazeres entalados,
Concentrados,
Estalados!

Dominar a ansiedade
A esta altura do campeonato,
É mais que um desafio.
É, praticamente, um desacato.
Como afirmo sempre: estreitíssimo fio.
Não vejo a hora de fazer as pazes
Com a minha sexualidade.
Farei etéreos cartazes,
Quando chegar ao oásis.
Quando nossas mãos se entrelaçarem.
Quando nossas almas se enlaçarem.
... Nossos corpos se fundirem!
Quando todos os seus cabrestos,
De nós, desistirem,

Conforme aguarda o nosso cósmico enredo.


"Agora eu era o herói e o meu cavalo só falava inglês"





Trabalho nº 2429



Barbaridade !!!!

barcacadearenque.blogspot.com



Algumas criaturas,
Que se dizem afeitas à altura,
Na verdade, são dependentes do sofrimento.
Não conseguem viver sem um abatimento.
Quando a vida as livra de um transtorno,
Correm e buscam outro rosto,
Para lhes servir de carrasco.
O que desencadeia um cósmico asco,
Com trágicas consequências,
Exatamente pela total ausência de consciência.

Estas criaturas fazem-se coitadas.
Mas, no fundo, adoram as chibatadas.
A emocional senzala
É delas, a preferida ala.
Consciente ou inconscientemente.
Infelizmente.
Desprezam o apoio dos verdadeiros amigos,
Por estarem enterradas em seus próprios umbigos.
Estão cegas.
Usam
E abusam.
Machucam. Faltam com o respeito.
Maculam o indispensável esteio.
Mentem,
Principalmente, sobre o que sentem.
Mantêm fechadas as janelas.
Trocam os benefícios da luz solar,
Pelas trevas que não as deixam vivenciar
A verdade.

Que barbaridade!


"Oh, sim! Eu estou tão cansado, mas não pra dizer, que eu não acredito mais em você"





Trabalho nº 2428


terça-feira, 26 de maio de 2015

Depuremo-nos, pois!!!


ultimosegundo.ig.com.br


Tem que ter tesão!
Sem tesão
Fica difícil viver.
Passa-se, apenas, a sobreviver.
Não creio que tenha sido esse o intento da Criação.
Soa-me mais como um produto barato da ilusão.

Estou me referindo àquele prazer subcutâneo.
Descaradamente espontâneo!...!
Inegável,
Embora nem sempre inefável...
Seguir a trilha alada dos suspiros.
Perseguir o bom do destino.
Deixar-se guiar pela intenção.
Ouvir a própria emoção.
Permitir que a canção
Faça o seu papel de embarcação.
O prazer do mínimo,
Do ínfimo!
Do só perceptível
Ao sensível!
Do que está bem a nossa frente,
No entanto deixamos escorrer por entre...

A expansão da percepção

É o melhor caminho para a evolução.


"Tua boca molhada, teu olhar assanhado"




Trabalho nº 2427

Decida-se

www.fazendavisconde.com.br



Sinceramente, com você, não sei o que fazer,
Como proceder.
Sua insegurança
É uma autêntica destemperança.
Você está na pista da direita,
Querendo passar pra esquerda,
Mas não segue. Fica no meio da pista.
Postura esta, totalmente desaprovada pela vida.
É muito complicado jogar em dois times
Tão diferentes.
Não existem versos que rimem.
Seu desejo por mim,
Ainda não é o suficiente.
Você ainda não consegue me dizer SIM!
Ao mesmo tempo não me larga...
Seu comportamento me é uma farpa.
Sou o seu oposto.
O que sou se lê em meu rosto.
Sei, exatamente, o que quero.
O que espero.
Ao contrário de você, não deixo falhas.
Há muito me livrei das moralistas tralhas.
Sigo o que me pede o coração

Visando sempre o colo aconchegante da imensidão.


"Olha, você vai embora. Não me quer agora. Promete voltar"





Trabalho nº 2426


segunda-feira, 25 de maio de 2015

Criticar

pt.wix.com


Faz parte do ofício de pensador, criticar.
Não há como escapar.
Se discordo de tudo
Que está regendo o mundo
Nesse conturbado momento,
Não tem como elogiar o atual alinhamento.
Todo desalinhado!
Radicalmente desestruturado.
Injusto
E sujo!
Vivemos uma patética farsa!
Um gosto que amarga!
Uma faca que espeta!
É cheia de curvas impraticáveis, a nossa reta.

Convenhamos! Não estamos sendo sinceros.
Principalmente, para com nós mesmos.
Estão desmoronados, os nossos castelos.
Optamos pelo material desenredo.
Acomodamo-nos na conveniente mentira.
Desobedecemos nossas interiores guias.
Ignoramos nossos impulsos superiores.
Preferimos a comodidade duvidosa dos inferiores.
Fraudamos nosso sideral objetivo.
Desbotamos nosso destino.

Haja sensibilidade

Para nos fazer voltar para a eternidade.


"Um pequenino grão de areia"



Trabalho nº 2425