terça-feira, 5 de junho de 2012

Entre Árvores e Sabiás













Cada vez mais,
Sinto-me um caiçara, 
Que só, junto à natureza,
Em toda a sua beleza,
Ilumina os interiores castiçais,
Estendendo as asas...


Já pertenci às grandes cidades.
Hoje sou da mata,
Da praia,
Da serra,
Da Terra!
Palco onde reconheço a eternidade.


Vivo entre árvores antigas,
Que fazem questão de partilhar,
De me acompanhar
Em minha, agora disparada, subida.
Foi amor à primeira vista,
O que senti por essas meninas!


Tão lindas!
Ah! Como são queridas!
Invadiram minha existência.
Estão me ensinando uma nova cadência,
Melhor elaborada,
E, francamente, bem mais assanhada...


Toda alternativa
E positiva!


Já somos cúmplices, além de companheiros.
Junto aos sabiás, sanhaçus, miquinhos,
Seguimos polinizando os jardins, pelos caminhos,
Reabastecendo os celestiais tinteiros,
Visando a evolução dos desenhos
Dos planetários enredos.








Uma das músicas de minha vida
Vídeo liiiiiiiiiiiiindo:
"Verde"
Leila Pinheiro - Magnífica
http://www.youtube.com/watch?v=_TvOBEzcYYs



Foto - Welinton e Narlei -


2 comentários:

Emmanuel Almeida disse...

Da natureza todos sabemos, integrar-se e ser um visionário dela é para quem possui muita sensibilidade. Ah, se todos homens fosse visionários, Claudio! Belo texto, Poeta! Bom dia!

Anônimo disse...

***** Perfeito meu amigo!*!* Assino junto!*!* As imagens e vídeo ficaram D+++++... Parabéns!* Uma noite maravilhosa pra vc!* Abração meu anjo!* >>> Narlei*