quarta-feira, 2 de maio de 2012

Braço ao Tempo










Como explicar?
Não sei!
Apenas mergulhei...
O que encontrei,foi o ardor 
Perturbador,
Renovador,
Do Amor...
...Nunca mais fiquei sem ar!


Dei o braço ao tempo.
Alterei meus batimentos.
Assumi os significados...
Fui obrigado!
Havia um pé em minha garganta!
Mas, havia também essa fome tamanha.
De compartilhar,
Até mesclar!


Sempre me guiei
E acreditei 
No poder da afeição,
Contra as mazelas da escuridão!
Sempre soube o que quis.
O possível, fiz!
Dentro do que sabia,
Do que me ardia...


Os braços da afetividade
Acolheram-me 
Com intensidade.
Envolveram-me,
Com sua eletricidade,
Com sua densidade,
Em uma trama apaixonada,
Sensivelmente entalhada.


Só me sinto confortável,
Só sei responder por mim,
Dentro deste enredo romântico,
Deste lirismo quântico,
Que faz tudo parecer,
Com um perpétuo florescer.
Percebo que a existência quer se superar,
A cada raiar...


...Dourado,
Encantado!



Dedico este trabalho
à alegria de minha amiga
Dolce Vita



Vídeo indicado 
Ney Matogrosso e Marília Pera



4 comentários:

Mari Rehermann disse...

Adoro os poemas que encontro aqui...

Tenha um ótimo dia!!
Beijos!♥

Anônimo disse...

***** " Braço ao Tempo" Já li uma bemm parecida com esta..." Apenas,Mergulhei!" Ficou maravilhosa tbém!* Parabéns meu amigo!*
Abração no coração!*!* >>> Narlei*

Evandro L. Mezadri disse...

Bela obra, Cláudio!
Muito bem escrita, inspiradora para iniciarmos o dia.
Grande abraço e sucesso!

Anônimo disse...

...Que presentaço mais que encantador...Douradamente lindo!!! parabéns meu GIGANTE. meu carinho e meu beijo. Lety.