quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Por Amor a Itacaré



Talvez, me encontre no maior desafio de minha vida.
Diante do que aprendi,
Do muito que percebi,
Desde que cheguei à Itacaré:
Não torcer o pé,
Nessa caminhada acelerada,
Verdadeira escalada,
Rumo ao meu mais alto solo,
Só viável no celestial colo.

 

Não dando muita importância
Às pedras do caminho,
Todas, claro, em desalinho,
Pela insensibilidade humana
E sua ambição pernóstica e profana.
Pela insustentável arrogância
Dos “exploradores”,
Disfarçados de empregadores,
Que os lugares paradisíacos atraem,
Infelizmente,
E que desafortunadamente,
Os traem,
Miseravelmente,
Invariavelmente.


 

Pessoas que não se sabem.
Só pensam em dinheiro,
Mas, se disfarçam de naturistas,
De –infâmia – “ecologistas”,
De amantes da natureza,
Desde que essa lhes renda dividendos,
A contento,
Com toda a certeza!
Encontram na gente simples, uma mão de obra barata,
Fácil de ser enrolada,
Com falsas promessas
E pequenas quimeras.
Um quadro lamentável,
Que se estende pelo brasileiro litoral,
A espera de uma revolução cultural,
Que deixe de ser tão capitalista,
Para ser bem mais humanista.


 


Nunca quis ser feliz sozinho.
Quero o melhor para o lugar que escolhi por ninho.
Mais atenção,
Mais dedicação,
De todos os lados,
Em todas as relevâncias,
Em todas as instâncias.
Afinal, um dos lugares mais belos do mundo,
Visivelmente encantado,
Precisa ser reconhecido como tal...
Com sua beleza sideral,
Ser muito, mas, muito mesmo, mais bem tratado.
Precisa sim, se sentir amado!


















   

Itacaré, minha linda,
Parabéns, por mais um ano de vida.
Obrigado por me obrigar a pensar

E a criar!



   

Música indicada
Interpretação surpreendente
Maria Gadú
"Axé Acappella"


7 comentários:

Celêdian Assis disse...

Bom dia, meu amigo!

Parabéns a Itacaré pelo aniversário e você não poderia fazer-lhe uma melhor homenagem, como esta linda declaração de amor e reconhecimento pelo acolhimento e a vida nova que a cidade lhe proporcionou. Nela está explícita a sua preocupação maior, a de que a terra não seja apenas o ícone de beleza, mas o sustentáculo de uma realidade mais feliz e mais humana para as pessoas que ai vivem e exploram esta beleza. Sei o quanto isto é natural em você. O meio se faz próspero se houver gente e sentimento engajados no mesmo propósito e se assim não for, tanta gente continuará infeliz e maltratada. Bravo, meu querido! A sua luta interna nunca terá sido em vão, mesmo que as adversidades apareçam. Parabéns pelo maravilhoso texto.
Um beijo
Celêdian

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto, meu amigo poeta!
Amo teus textos cheios de verdade
abraços carinhosos

Anônimo disse...

***** Este ficou mais do que porreta... Um espetáculo!*!*!* Parabéns Itacaré!*!*!* E meus aplausos a você meu querido amigo da luz dourada!*!*!* Você é mesmo D++++
"Seu amar é por demais, profundo"!
Boa noite meu anjo!* Um beijo no seu coração!*!*!* >>> Narlei*

Anônimo disse...

PARABENS MEU AMIGO, TUA CIDADE É LINDA E SUA DECLARAÇÃO DE AMOR POR ELA MAIS AINDA.

ABRAÇO FORTE

ELAINE (MÃE DA PAULA - UMA ESTRELA)

Anônimo disse...

Parabens Itacaré!!Parabens,Claudio,amigo do coração!
Sempre bom ler vc,meu querido!
Um texto sentido,com alma,,,,Aplausos,lindo amigo!
Bjs da
Alga

Toninhobira disse...

É meu amigo quando Itacaré passou a ser a "bola da vez"logo imaginei o que poderia acontecer com o fluxo e progresso desregrado,como a tantos outros lugares lindo da Bahia e Brasil.Poucos tem uma legislação como Fernando de Noronha e assim é preciso uma junção de forças de todos no sentido de preservar.Que Itacaré seja preservada,que o paraiso seja mantido,para alegria e festa do coração,mas afirmo ser uma luta terrivel com estes pernosticos.
Um abração e parabens por mais um ano e que muitos sejam celebrados com alegria mesmo.
Meu abraço de paz e luz.

Anônimo disse...

...Retornando e me deliciando com suas pérolas!!!imagens soberbas, poesia uma obra de arte das mais belas, vídeo de tirar o fôlego...todo o conjunto cheio de realidade e sabedoria. Parabéns Itacaré, parabéns meu GIGANTE. Meu carinho e meu beijo. Lety