quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Deliciosamente Admirável





Tenho tanto para finalizar
Ainda, em minha vida,
Que não posso mais me ater,
À cabeça doida de gente esquisita!
Tenho muito a percorrer,
A canalizar,
Em pouquíssimo tempo.
...Tenho também que lidar,
Com meu forte temperamento,
Impulsivo,
Incisivo.
Enfim, muito que lapidar!

Lamento muitíssimo não ter conquistado
A confiança de todos.
 - Sonho louco –
Mas, deixo meu posicionamento registrado,
Para posteriores avaliações.
Espero, com a ajuda e o aval do tempo,
Semear verdadeiras revoluções
Nos intervalos de cada batimento,
Em cada peito.
Sem dúvida, de um lírico jeito!
Sem dramas,
Nem manipuladas tramas.

Meu desejo é de coletiva clareza.
Uma volta incondicional à leveza,
Só encontrada na nobreza
Da pureza.
Acredito na centelha universal
Depositada em cada ser vivente.
Anseio por seu efeito convergente.
...Essa magia excepcional,
Que, de fato, ainda nem se mostrou,
Ainda nem aflorou,
Por completo.
Aposto na luminosidade do que é certo,
Do que é louvável,
Não por ser estático, ou estável...
Ao contrário, por ser mutável,
É que se torna deliciosamente admirável!




Música indicada:





2 comentários:

Toninhobira disse...

Um belo poetar onde o questionamento se faz presente numa otima reflexão.Não se agrada a todos, mas os poucos já nos acaricia o ego e seguimos amigo pela trilha concebida, aí mora o deliciosamente.
Um abração de paz e luz.

Anônimo disse...

...Como sempre, verdadeiro e fincado em sentimentos para cima...Seu texto é um show! meu carinho e meu beijo. Lety