quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Bem Mais






Mais,
Quero mais!
Mais paz!
De uma forma abrangente,
Que açambarque toda a gente,
De suas mazelas,
De suas escurecidas quimeras...
Quero me recostar na plenitude,
Sem qualquer beatitude...
Como se estivesse em ombro amigo.
Como se nunca tivesse existido perigo...

Quero a paz de quem acredita,
Que a dor foi por outra trilha...
Aposentou-se,
Desintegrou-se!
Recolheu seu conturbado argumento,
O que, aliás, já não era sem tempo.
Quero portas e janelas abertas,
Em uma positividade concreta...
Quero cada irmão imitando o girassol,
Frontalmente voltado para o sol...

Quero que se espalhe o benefício da clareza,
Da claridade,
Da irmandade,
Da imprescindível e inegociável pureza!
A luz da verdadeira liberdade,
Com a sua incomparável luminosidade...
Mão na mão!
Adeus à ilusão
De solidão...
Uma linda canção!

Espaço para todas as diferenças.
Um belo final para cada sentença!
Muita dança,
Materializando a esperança...
O respeito como arquitetura,
A afeição como cobertura!
O reconhecimento final
Do amor universal!
Poesia e Vida!
Vida em Poesia!








Música:
http://www.youtube.com/watch?v=q8j9Vmj_X8Q&feature=feedrec




2 comentários:

LUCONI disse...

Materializando a esperança...,O respeito como arquitetura,A afeição como cobertura!O reconhecimento final Do amor universal! Claúdio todo o seu poema é lindo mas este final é sublime, amei. Querido me perdoa a ausência ando com alguma dificuldade de vir ao pc, mas devagar vou conseguindo, obrigada pelo carinho que sempre teve comigo, beijos Luconi

Anônimo disse...

...E NÃO CUSTA MESMO ESSE BEM QUERER...SUA HOMENAGEM FICOU CONTAGIANTE, LUMINOSA E PURA...VERDADEIRAMENTE LINDA! PARABÉNS. MEU CARINHO E MEU BEIJO. LETY