sábado, 15 de março de 2014

Zelar !!!


www.pipocadebits.com





Gosto muito de zelar pelos meus afetos.
O problema é que são muitos, tantos,
Que não sei se faço tudo que posso,
Por cada um,
Um a um!
Gosto de servir momentaneamente de teto,
De abrigo para todos os prantos.
Amenizar,
Se possível, desmascarar
Sofrimentos: é o que mais gosto.

Há muito declarei guerra ao sofrimento.
Penso ser um equívoco, um engano,
Tanto desengano!
Não pode ser esse, o cósmico argumento.
Isso é desvio de percurso
Nosso, do mundo!
De nosso adoecido mundo,
Que, nem de longe, retrata o verdadeiro mundo.

Imagino-o orvalhado,
Clareado...
Desprovido de armadilhas,
Por estarem iluminadas todas as trilhas.
Nada de conhecimentos secretos,
Para grupos que se pensam seletos.
Não! O conhecimento será partilhado,
Para ser devidamente vivenciado.
Nunca mais escravidão,
Ou exploração!

A paz e a harmonia,
O exercício consciente da afeição,
A verdade como única opção
Proporcionarão uma tão bela melodia,
Um tão exemplar desenvolvimento,
Que, finalmente, passará a refletir o firmamento.






"Coração, coração, coração"
https://www.youtube.com/watch?v=qZcfBIEND00





www.ambientequotidiano.it








2 comentários:

Luconi Marcia Maria disse...

Sim meu amigo, paz e harmonia andam juntas e logicamente o amor é que nos dá a oportunidade de cativar esta paz e a harmonia, lindo poema, linda mensagem, abraços

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Claudio. Faz tempo que não nos encontramos, mas conheço a sua poesia, que sempre é benevolente.
Adorei a estrofe que diz:

"Gosto de servir momentaneamente de teto,
De abrigo para todos os prantos.
Amenizar,
Se possível, desmascarar
Sofrimentos: é o que mais gosto".

Assim deveria ser a humanidade, mas que está cada dia mais desprovida de amor, infelizmente, o que nos torna pessoas impotentes.
Falta amor e irmandade, a fim de que possamos evoluir enquanto pessoa, em busca da paz e felicidade!
Como existem vezes em que apenas precisamos de um abraço e não encontramos...
Tenha um domingo abençoado de paz!
Beijos na alma.