sábado, 13 de outubro de 2012

Já Estou Indo !!!








Bateu, de novo, a necessidade de mar!
Uma espécie de interno chamado,
Para permanecer arrebatado,
A voar.
Quando meu ser se esgota,
Quando algo, muito me incomoda,
É a ele que recorro,
Em busca de seu incomparável conforto.

Não tenho qualquer dúvida de minha procedência.
Vem dele, a lírica cadência,
A espontânea expansão da consciência.
Esta apaixonada incandescência.
Sua arte final incomparável,
Coloca-me frente ao incontestável:
A urgência em transmutar,
O que insiste em perfurar...

Ainda me preocupo em demasia,
Com tanta hipocrisia,
Toda esta falta de bom senso,
Que assola o humano elemento.
O espelho distorcido pela vaidade,
Pela suposta incapacidade
Em lidar com a particular realidade,
Afastando, desnecessariamente, a luminosidade.

Há tanto espaço no celestial ninho,
Tão pertinho!
Tanto carinho!
No entanto, insistimos em seguir sozinhos,
Ou pior, indevidamente acompanhados,
Fraudando laudos.
Um cego conduzindo ao outro,
Ao improvável porto!

Aflijo-me ao ver todo este encanto,
Que brota em cada canto:
Desperdiçado!
Irresponsavelmente, negligenciado.
A imbecil insistência,
Em permanecer na inconsciência.
A incompreensão da vida,
Tornando impraticável a subida.

Só mesmo o mar...
De preferência, este mar,
Com sua linda canção,
Para me acarinhar o coração...
Para me manter no ar,
A poetar,
Com este tipo específico de poesia que pratico,
Toda voltada ao processo evolutivo.





Uma das mais lindas canções brasileiras
Na magistral, definitiva, interpretação de
Óbvio,
Claro:
Maria Bethânia
"Primavera"




Dedico este trabalho à minha amiga/poetisa
Suelzy Quinta - Flor da Vida





3 comentários:

Flor da Vida (Suelzy Quinta) disse...

Teus versos emocionaram-me ao me colocarem de frente com essa realidade que aflige a tanta gente...
Há tanto para se oferecer em amor e carinho... No entanto, parece que o egoísmo, a inveja, a ganância fala mais alto nos corações a cada dia mais...

Mesmo acompanhados, muitas vezes nos sentimos terrivelmente sozinhos... E dói essa solidão...

Sabe amigo, através das tuas sábias e profundas letras, visitei esse mar pleno de magia e renascimento...
Uma nova força me abraça, e eu sinto que a felicidade ainda pode ser, mesmo confrontando com tantas dificuldades para a concretização dos nossos sonhos e ideais...

Muitíssimo obrigada por me dedicar algo tão sublime e balsamizador como este poema e esta canção maravilhosa!
Deus te cuida hoje e sempre.
Beijos floridos.

Toninhobira disse...

Quando se está de frente para este parceiro,ao som de sua linda canção um plano de voo logo é traçado, para longe da intolerancia, da mesmice esterotipada de mentes que se isolaram e ou nao se permitiram ao entrelaçar de emoções que faz da vida um imenso azul,como este mar.
Linda inspiração e justa dedicação.
Meu terno abraço e belo sabado de paz e luz.Com as bençãos de nosso irmão Wé de cima do majestoso.Ele nem precisa de mar.rsrs

Dulce Morais disse...

Claudio, os seus versos encantam-me sempre, e este mar tão atraente inspirou-lhe uma poesia sentida e intensa. Parabéns!