quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Transparente Afeto




Conviver com a fauna que frequenta a margem da mata,
É algo, que, realmente, impacta!

É um mundo tão bonito,
Tão exuberantemente lindo!
Chego a pensar que estou no reino errado.
Prefiro mil vezes o mato,
À cidade,
Com sua inconcebível sociedade!

Meus irmãos não me levam a sério.
Pensam que sou um mistério...
Discretamente,
Educadamente,
Evitam o convívio.
Atribuem minha esquisitice, ao ofício!

Apesar de terem, por mim, grande estima,
Não conseguem assimilar de todo, a essência,
A latência,
De minha rima!
Pensam que sou um sonhador,
Por ousar viver em pleno ardor!

Por acreditar, piamente, na redenção
Total e irrestrita, da multidão!
Por me recusar a seguir os padrões,
Por ser absolutamente fiel, às emoções.
Por me apaixonar todos os dias,
Pelos versos do dia!

Com a floresta, é diferente!
Muito mais abrangente!
Mais delicada,
Mais bem acabada!
Toda esta harmonia
Recendendo a alegria!

O afeto é transparente

2 comentários:

Ana Bailune disse...

Bom dia, Cláudio. Compreendo sua preferência, pois penso da mesma forma. A natureza é simples, maravilhosa, sábia. Contém a essência do que somos e da qual nos desligamos. Também adoro estar junto a ela, e agradeço todos os dias por isso.

LUCONI disse...

Claúdio depois de ausentar-me da net, para entender o que não tem explicação nesta vida terrena, retorno e venho te deixar o meu abraço e como sempre deleitar-me com teus belos versos, sempre em prol do Amor Universal, beijos Luconi