quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Última Parte



 imotion.com.br



Decolei mesmo em meio a densa bruma...
Precisava de mais altura!

Corro todos os riscos,
Para que meus signos
Permaneçam em enlevo,
Projetando um lindo enredo.

Passa longe de capricho...
É a peculiaridade do destino!
É como sei viver.
Mas, também, é como me sobrou viver!

Tudo desembocou,
Desaguou
No ar...
Roteiro de serra e mar!

Aprontaram comigo.
Redesenharam-me o umbigo.
Exatamente quando tudo parecia perdido,
Apresentaram-me ao carisma,
À sofisticadíssima rima,
Do etéreo carinho...
Receberam-me de tal forma,
Que tive que recolher a corda
E saltar.
Fui ter com o ar...
Nunca mais voltei.
Nunca mais voltarei!

A sensação de missão cumprida
Proporcionada pela poesia!
O recado dado,
O fato consumado!
Todas as dúvidas esclarecidas
Só me resta mesmo uma mais alta alternativa.
A última parte:
Apresentar-me à essência,
À luminescência,
Ao final da "Grande Tarde"!



Música indicada:



renanbrrt.blogspot.com

2 comentários:

jose claudio disse...

Será que dá para voar ainda mais alto? Querer eu sei que você quer...

PS: veja lá no seu e-mail um esboço do Poesia no Palco que lhe mandei agorinha.

Anônimo disse...

Claudinho...não existe última parte. Tuas letras ficarão pra sempre, e em alguma parte será sempre a primeira. Um beijo imenso! Junya