sábado, 12 de janeiro de 2013

Para Ontem












Mais! É preciso muito mais delicadeza!
Estamos, ainda, excessivamente agressivos,
Intempestivos!
Em demasia, interiormente, rústicos.
Injustificavelmente, estúpidos!

Estamos deixando passar
Espetaculares detalhes,
De primorosos entalhes,
Por estarmos narcotizados,
Vergonhosamente manipulados,
Pelo materialismo
E seu inconcebível imediatismo.
Estamos nos deixando minimizar.

Não reparamos nas verdadeiras belezas,
Do mundo natural, ao nosso redor.
Escolhemos o pior,
O fútil,
O inútil.
Afastamo-nos de um elemento fundamental,
Matéria obrigatória no plano sideral:
A pureza!

Estamos desperdiçando nosso tempo,
Devastando o planeta, puro destempero,
Por migalhas...
Por estarmos nos deixando levar pela gentalha,
Que se pensa no poder,
Apenas visando o próprio enriquecer...
...Leia-se apodrecer!
Estamos sabotando nosso viver.

Tudo é muito mais!
Muito mais que demais!
Tudo é muito mais delicado.
Merece ser cuidadosamente saboreado,
Com intensidade, respeito e paixão.
Precisamos recuperar a razão
E direcioná-la para a sensibilidade,
Para nos reencontrarmos com a eternidade.






Música indicada:






Para adquirir meu terceiro livro "Txai"
No site da editora Biblioteca24horas,
Vá aos lançamentos e clique na foto do livro





3 comentários:

Ana Bailune disse...

Parabéns pelo poema, e pela sensatez que existe nele, Cláudio. Precisamos, sim, de mais doçura , tolerância e verdade.

LUCONI disse...

Boa noite, Claúdio, tem toda razão, tem muito mais, dá-se importancia a tantas coisas que nada valem, perde-se o melhor da vida, beijos Luconi

Lília Costa disse...

Demais este poema! Verdades tão bem descritas! Parece fácil demais ser feliz... Pena que a gente complica! Seus poemas reforçam minhas intenções de me manter no melhor caminho...
Beijo!!!