quarta-feira, 7 de maio de 2014

Quase Uma Fuga







Depois da chuva, eu chego,
Com meu Amor em alto relevo.
Mais lírico que nunca!
Quase uma fuga...
De tão diferente,
De tão abrangente.
Tudo que espero
É que o mundo me seja sincero,
Para que eu possa abrir minhas asas
E poetar, livremente,
Apaixonadamente,
Por sobre o teto das casas.
Clareando suas paredes.
Balançando suas redes,
Em um cósmico ritmo:
Exigência de meus signos.
Todos oriundos de outras esferas,
Que lembram lindas quimeras,
Porém verdadeiras.
Flechas certeiras,
Direcionadas aos que se enfrentaram,
Aos que se encararam
Nas entrelinhas do espelho
E mergulharam fundo
No que encontraram de mais profundo.
Aos que abriram mão das futilidades
Dessa conturbada atualidade,
Oferecendo-se aos ditames do Universo,
Em respeitosos versos.
Todos tão românticos,
Que flertam com o quântico.

Aguarde-me estou chegando ao seu centro,
Onde me instalarei, temporariamente, por dentro.




"Canta, gira, dança samba, santa bamba"
https://www.youtube.com/watch?v=ZATvAvmsWJc





Dia das Mães : Presenteie lirismo!!!
Para adquirir  meus livros direto no site da Editora Biblioteca24horas,
Clique no link abaixo. 
Em seguida, digite meu nome ou o do livro no campo de pesquisa

http://24.233.183.33/cont/login/Index_Piloto.jsp?ID=bv24x7br






www.osmais.com

Um comentário:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Cada partida corresponde a uma chegada e cada fuga corresponde a uma saída.
Tudo na vida está em movimento e o verdadeiro amor também está carregado de linhas com a música de todos os momentos.